Tanchagem - Planta Auxiliar na Promoção a Saúde

Tanchagem – Planta Auxiliar na Promoção a Saúde

A tanchagem e uma pequena erva bienal ou perene, ereta, sem a presença de caule (acaule), de 20-30 cm de altura.

As folhas são dispostas em roseta basal, com pecíolo longo e lâmina membranácea com nervuras bem destacadas, de 15-25 cm de comprimento.

Flores muito pequenas, dispostas em inflorescências espigadas, eretas sobre haste floral de 20-30 cm de comprimento, as quais transformam-se em frutos (sementes) que são facilmente colhidas raspando-se entre os dedos toda a inflorescência.

Multiplica-se apenas por sementes. As espécies Plantago lanceolata L. e Plantago australis Lam. são também utilizadas na medicina popular no Brasil.

A tanchagem e nativa da Europa e naturalizada em todo o sul do Brasil. Existem muitas espécies de tanchagem, sendo a Plantago major L., a de maior valor medicinal.

Estudos com o seu pólen demonstraram que foi introduzida nos países Nórdicos simultaneamente a sua inserção nos campos de cultivo primitivos há 4000 anos (atrás). Chamada de “pegada de homem branco” pelos índios devido ser encontrada em todos os lugares da Europa.

O seu uso como cicatrizante na medicina popular e muito antigo, tendo sido descrito pelo médico grego Dioscorides no seu livro “Matéria Médica” publicado no século 1.

Indicações de uso da tanchagem

A tanchagem e indicada principalmente para afecções das vias respiratórias, como secreção, gripe, asma, tosse, bronquite e processos inflamatórios da boca e garganta. Também recomendada para afecções do trato gastrointestinal (TGI) como úlceras, disenteria, diarreia, bem como em problemas hemorrágicos.

A forma mais conhecida do seu uso para as afecções respiratórias e o gargarejo que é a agitação da infusão na garganta pelo ar que se expele da laringe, não devendo ser engolido o líquido ao final.

Como preparar a infusão de tanchagem

Para o preparo da infusão precisa-se de 2 colheres de sopa das folhas da tanchagem picadas e 1 xicara de chá de água fervente.

Coloque as folhas picadas na xicara, junte a água fervente e abafe por 15 minutos.

Filtre a infusão em uma xicara ou copo de vidro/louca e use ainda morno faça o gargarejo de 2 a 3 vezes ao dia.

Observações importantes

Não se esqueça que utilizará uma planta para benefício a sua saúde, portanto escolha aquela que se encontra em um local longe de esgoto, fossa, deposito de lixo e estacionamento de veículos, bem como não tenha sido pulverizada com agrotóxicos.

Não é recomendável o uso da tanchagem durante a gestação e amamentação.

Referencias

  1. LORENZI, H.; MATOS, F. J. A. Plantas medicinais no Brasil: nativas e exóticas. 2 ed. Nova Odessa: Instituto Plantarum, 2008.
  2. CARVALHO, J. C. T. Fitoterápicos anti-inflamatórios: aspectos químicos, farmacológicos e aplicações terapêuticas. Ribeirão Preto: Tecmedd, 2004.
  3. CARNEIRO, D. M. etal. Essência da Saúde: plantas medicinais e alimentação. Goiânia: Ciência da Saúde Editora e Livraria, 2014.
  4. PANIZZA, S. T. et al. Uso Tradicional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos. 1 ed. São Luís: CONBRAFITO, 2012.
  5. Brasil. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Primeiro Suplemento do Formulário de Fitoterápicos da Farmacopeia Brasileira. 1a edição. Brasília: Anvisa, 2018.
  6. PANIZZA, S. Plantas que curam: cheiro de mato. São Paulo: Ibrasa, 1997.
  7. NEWALL, A. C. et al. Herbal medicines: a guide for health-care professionals. London: Pharmaceutical Press, 1996.

Fonte: https://www.saude.df.gov.br/documents/37101/571046/Folder+%E2%80%93+Tanchagem.pdf/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.